31 de out de 2011

Encanto é uma admiração em flor.

MOVIMENTO


Foi quando começou a não se importar tanto de sentir tanto medo, que ouviu o convite, ainda tímido, quase sussurro, do próprio coração, esse sabedor do que, de verdade, importa:

“Volta, com medo e tudo.”

Foi.

E começou a redescobrir que coragem, na maioria das vezes, é apenas voltar para o próprio coração. É apenas calar a ausência devastadora e infértil dele. É apenas sair do lugar para um ponto um pouquinho mais espaçoso e espalhador de sementes. É apenas seguir. Com medo e tudo.

30 de out de 2011

Acordei com a sensação de que as coisas irão mudar. O problema é que nem tudo muda pra melhor. Mas hoje, mais do que qualquer outro dia eu irei sorrir. Não deixarei nada me abalar, e caso alguma lágrima escorrer pelo meu rosto, será de felicidade. Hoje quero paz e descanso pro meu coração, ultimamente ele anda cansado de tudo e de todos.

Eu não ligava para muitas coisas. Eu nunca ligo. Ou eu amo ou eu desconheço. Você pode fazer uma festa na minha frente, mas se não morar no meu coração, eu não vou enxergar.

[...]

— Mas e se chover?
— Deixa molhar…

29 de out de 2011

As pessoas têm medo das mudanças. 
Eu tenho medo que as coisas nunca mudem.
Fico esperando alguém que caiba nos meus sonhos.
Nem me preocupo, sei que febre de amor não mata. Dói, tortura, faz o diabo com nosso corpo, mas não mata. Eu nunca vou morrer de amor, nem viver de amor eu consigo.

(…) Quem tem que ficar, fica.

Eu sei que dá vontade, mas não dá pra ligar pro desgraçado e dizer: ei, tô sofrendo aqui, vamos parar com essa estupidez de não me amar e vir logo resolver meu problema?

Intentaré reconstruir mi paz.

Outro cheiro

Se olharmos para alguns lugares da nossa jornada com calma, abertura e olhos de escuta, podemos perceber com alguma nitidez que não é raro chamamos de amor um monte de coisas que não são amor. Às vezes agimos como se soubéssemos o que é bom para o outro baseados somente no que sabemos ou intuímos ser bom para nós. Justificamos fazer isso ou aquilo por amor, mas muitos gestos nossos estão a serviço exclusivamente do nosso egoísmo. Da nossa carência. Do nosso medo. Do nosso apego. Dos nossos territórios machucados. Da nossa estreiteza.

Muitas vezes dizemos amar, mas estamos só desrespeitando. Dizemos amar, mas estamos só impondo. Dizemos amar, mas estamos só olhando para nós mesmos. Dizemos amar, mas estamos só fazendo adoecer as belezas disponíveis. Dizemos amar, mas estamos só amarrando sementes e calando primaveras. Dizemos amar, mas estamos só inflando nuvens que escondem cada vez mais o sol. Dizemos amar, mas estamos só dizendo. Amor tem outro cheiro. Outra natureza. Outra frequência. Outro chamado. É para ser luz pra dois, com todas as sombras de cada um.

So real to me!

28 de out de 2011

(...)

Não há como retornar ao que já não existe nem como adiantar o relógio para se chegar rapidamente ao que ainda não é. Experimentar na própria alma a força terna e tecelã da vida, ao mesmo tempo em que nos sentimos tão frágeis, é um desafio que requer paciência, toda gentileza e muita fé. As novas flores já moram nos brotos, mas ainda não desabrocharam. A chuva de renovação está dentro das nuvens, mas elas ainda não verteram. A borboleta já voa na crisálida, mas ela ainda nem se deu conta direito da novidade de ter asas.

"Engole teu coração e se ama por dentro."

Eu só te peço uma coisa: Pare de culpar a vida. Pare de ter pena de você. Se assuma. Se aceite. Se culpe. Se estrepe. Se mate. Mas se perdoe. Pelo amor de Deus, se perdoe. Somos todos culpados, se quisermos. Somos todos felizes, se deixarmos.

E ir até o fim


Passou pela minha cabeça voltar, mas o vento balançou os meus cabelos e mostrou que o caminho é para frente, reto e sem curvas.

22 de out de 2011

Acontece que descargas, não quero parecer alarmista, às vezes entopem. E devolvem justamente aquilo que deveriam levar embora...

In: Pequenas Epifanias

21 de out de 2011

Confesso

Confesso que ando muito cansado, sabe? Mas um cansaço diferente… Um cansaço de não querer mais reclamar, de não querer pedir, de não fazer nada, de deixar as coisas acontecerem. Confesso que às vezes me dão umas crises de choro que parecem não parar, um medo e ao mesmo tempo uma certeza de tudo que quero ser, que quero fazer...

Confesso que você estava em todos esses meus planos, mas eu sinto que as coisas vão escorrendo entre meus dedos, se derramando, não me pertencendo. Estou realmente cansado. Cansado e cansado de ser mar agitado, de ser tempestade… Quero ser mar calmo. Preciso de segurança, de amor, de compreensão, de atenção, de alguém que sente comigo e fale: “Calma, eu estou com você e vou te proteger! Nós vamos ser fortes juntos, juntos, juntos...”

Confesso que preciso de sorrisos, abraços, chocolates, bons filmes, paciência e coisas desse tipo. Confesso, confesso, confesso... Confesso que agora só espero você...

Feito pra acabar


Quem me diz
Da estrada que não cabe onde termina
Da luz que cega quando te ilumina
Da pergunta que emudece o coração

Quantas são
As dores e alegrias de uma vida
Jogadas na explosão de tantas vidas
Vezes tudo que não cabe no querer

Vai saber
Se olhando bem no rosto do impossível
O véu, o vento o alvo invisível
Se desvenda o que nos une ainda assim

A gente é feito pra acabar
Ah Aah

A gente é feito pra dizer
Que sim
A gente é feito pra caber
No mar
E isso nunca vai ter fim

16 de out de 2011

E eu digo sempre no final de cada conversa: “Te cuida, meu bem” com vontade de dizer: “Me cuida, por favor, pois meu eu está em você."
Eu não quero viver longe de você. Digo, viver sem falar contigo, sem saber como foi o seu dia, o que você fez, como esta se sentindo. Até porque, longe fisicamente de você eu já estou.
É apenas um aviso que eu deixo bem simples: se quiser, me procura você.
Tantas vezes preguiçosa por ter tanto pra aprender, tanto pra curar, tanto pra transformar, no fundo, continuo interessadíssima em crescer.

15 de out de 2011

Dia Mundial do RBD


Dia daqueles que construíram e mostraram que os sonhos podem sim tornar-se reais. Obrigada!
Meu cérebro faz bullying com o meu coração.

9 de out de 2011

Pode-se aprender tudo, inclusive a amar.

Oh Deus, como é triste lembrar do bonito que algo ou alguém foram quando esse bonito começa a se deteriorar irremediavelmente.
É esquisito, mas sempre orientei minha vida nesse sentido — o de não ter laços, o da independência, de poder cair fora na hora que quisesse.

8 de out de 2011

E se você acha que meu orgulho é grande, é porque nunca viu o tamanho da minha fé.

PERSEVERANÇA

Jogo a minha rede no mar da vida e às vezes, quando a recolho, descubro que ela retorna vazia. Não há como não me entristecer e não há como desistir. Deixo a lágrima correr, vinda das ondas que me renovam, por dentro, em silêncio: dor que não verte, envenena. O coração marejado, arrumo, como posso, os meus sentimentos. Passo a limpo os meus sonhos. Ajeito, da melhor forma que sei, a força que me move. Guardo a minha rede e deixo o dia dormir.
Com toda a tristeza pelas redes que voltam vazias, sou corajosa o bastante para não me acostumar com essa ideia. Se gente não fosse feita pra ser feliz, Deus não teria caprichado tanto nos detalhes. Perseverança não é somente acreditar na própria rede. Perseverança é não deixar de crer na capacidade de renovação das águas.

Hoje, o dia pode não ter sido bom, mas amanhã será outro mar. E eu estarei lá na beira da praia de novo.

Preciso de alguém que eu possa estender a mão devagar sobre a mesa para tocar a mão quente do outro lado e sentir uma resposta como: eu estou aqui, eu te toco também.

7 de out de 2011

— Por que este olhar baixo?
— Sinto-me distante.
— De quem?
De mim.
Que sopre esse vento que deve levar embora memórias e cansaços.
Ah! Se eu pudesse entender o que dizem os seus olhos...
Loucura foi permitir que nos déssemos às costas por pura impaciência de desvendarmos os caminhos.
Nem ausente, nem presente por demais. Simplesmente, calmamente, ser-te paz.

6 de out de 2011

Nada acontece duas vezes da mesma maneira.

Si vis amari, ama.

(Se quiseres ser amado, ame.)

4 de out de 2011

O que nos resta é o aqui e o agora


Me dê a mão, vamos fugir daqui
Nós dois correndo morrendo de rir
Dane-se o mundo ao nosso redor
Vamos de encontro ao nada, correndo pela estrada
Sempre na mesma direção
Do dia claro
Do momento raro
É assim que sempre seja assim
Que não se acabe nunca e não mude jamais

[FATO]

Uma caixa inteira de bis pra não ligar pra ele. Saudade não mata, mas engorda.
Frio nos pés - ainda bem que existem meias. E pro frio do coração, o que fazer?

O destino dos homens é a liberdade...

3 de out de 2011

Não é coincidência, é que chegou a hora de sermos felizes.
Sem paciência pra falar de amor, quero falar de vida. De como a vida pode ser bela quando a gente passa a ver o lado bom das coisas.
Um dia a gente acorda, os livros nos acordam, um anjo nos acorda, e somos avisados: não adianta mais olhar para trás. É ir em frente ou nada.