24 de nov de 2011

Liberte-se!

... Senti um vislumbre de felicidade, e, quando você sente um tênue potencial de felicidade depois de épocas tão sombrias, precisa agarrar essa felicidade com todas as suas forças, e não soltá-la até ela arrastar você para fora da lama - não se trata de egoísmo, mas sim de libertação. Você recebeu a vida; é seu dever (e também seu direito como ser humano) encontrar alguma coisa de belo nessa vida, por mais ínfima que seja.
Não percebemos que, em algum lugar dentro de todos nós, existe um Eu supremo que está eternamente em paz. Esse Eu supremo é a nossa verdadeira identidade, universal e divina.

Você sabe eu nunca vou pedir-lhe pra mudar;
Se é perfeito porque procurar o que mudar?

23 de nov de 2011

Ria até que o que parece trágico perca o sentido e fique tão ridículo que só sobra mesmo a vontade de dar uma boa gargalhada.
O destino, que conhece o desfecho de cada drama, sorri dos nossos cálculos, e choraria, se pudesse chorar; das previsões humanas.
Sempre chega a hora em que descobrimos que sabíamos muito mais do que antes julgávamos.

22 de nov de 2011

O dia envelhece e se renova a cada vinte e quatro horas. Que eu seja como o dia. Que eu me renove. Que a cada nascer de sol eu seja reescrita. Que a ortografia de mim seja corrigida, que a caligrafia de mim seja aprimorada. E que a cada bagagem acrescentada ao meu inventário, um novo eu me acompanhe. Que a cada dia todas as piadas me façam rir, mesmo as que já foram ouvidas, mesmo as cansadas. Sempre. Como se fosse a primeira vez.

Deixe de colocar sua felicidade na mão dos outros. Comece um caso de amor consigo mesma e pare de se boicotar.

18 de nov de 2011

Pena também que a gente se envergonhe de dizer, a gente não devia ter vergonha do que é bonito.

Quem desvendará meu interior para consertar meus defeitos?

Use uma margarida na sua fossa.

E devo dizer ainda que gostaria de vê-lo feliz, apesar de tudo o que me fez sofrer nos últimos tempos.

17 de nov de 2011

Depois, como sempre, limpei o rosto e continuei.

Trago esse sorriso por desobediência.
Desobedeço a tristeza.

Des-apego

Afinal, se coisas boas se vão é para que coisas melhores possam vir. Esqueça o passado, desapego é o segredo.

Por que nós?


Éramos célebres líricos
Éramos sãos
Lúcidos céticos
Cínicos não
Músicos práticos
Só de canção
Nada didáticos
Nem na intenção
Tímidos típicos
Sem solução
Davam-nos rótulos
Todos em vão
Éramos únicos
Na geração
Éramos nós dessa vez

Tínhamos dúvidas clássicas
Muita aflição
Críticas lógicas
Ácidas não
Pérolas ótimas
Cartas na mão
Eram recados
Pra toda a nação
Éramos súditos
Da rebelião
Símbolos plácidos
Cândidos não
Ídolos mínimos
Múltipla ação

Sempre tem gente pra chamar de nós
Sejam milhares, centenas ou dois
Ficam no tempo os torneios da voz
Não foi só ontem, é hoje e depois
São momentos lá dentro de nós
São outros ventos que vêm do pulmão
E ganham cores na altura da voz
E os que viverem verão

Fomos serenos num mundo veloz
Nunca entendemos então por que nós
Só mais ou menos

4 de nov de 2011

Aprendi com a primavera;
a deixar-me cortar e voltar sempre inteira.

Permita-te se livrar de tudo o que for ruim, garota. Suscita coragem nesse seu coração e saia distribuindo tuas cores por aí. Tristeza vai embora quando você a espanta. Espanta, menina. E vê se abre os olhos e o coração pra outra coisa. Principalmente o coração.

"A partir de agora, exijo felicidade."

3 de nov de 2011

Manda quem te machucou pra bem longe daqui. Deixa o que te faz feliz chegar e revestir.

Tende por certo: amar se aprende amando.

Tem coisas que Deus dá para a gente aprender.
E tem coisas que Deus só dá quando a gente aprende.
Serão como borboletas, imprevisíveis, vivendo de acordo com seu próprio código, em sua trajetória singular.

1 de nov de 2011

Quando tudo for pedra... Atire a primeira flor.
A gente deve levar sentimentos bons dentro da gente. E distribuir boas coisas para os outros. Seja um sorriso, um abraço, uma palavra, uma mensagem no celular. Faz um bem danado. Para o outro e para a gente. As pessoas andam tão preocupadas com seus afazeres diários que acabam esquecendo de coisas simples. Um piquenique no parque, um passeio de bicicleta, uma música legal, um pôr do sol, um passeio na chuva. Piegas, não? Mas as melhores coisas da vida são piegas.
A vida voa na sua cara, esbarra no seu rosto, suja sua vaidade, corrompe suas certezas e você não pode fazer nada. A não ser lavar o rosto e começar tudo de novo.

QUE VENHA NOVEMBRO, E QUE SEJA ABSURDAMENTE DOCE!


Quase novembro, a ventania de primavera levando para longe os últimos maus espíritos do inverno, cheiro de flores em jardins remotos, perfume das primeiras mangas maduras, morangos perdidos entre o monóxido de carbono dos automóveis entupindo as avenidas.