27 de fev de 2011

Feita de pedra.


Essa vida viu, Zé. Pode ser boa que é uma coisa. Já chorei muito, já doeu muito esse coração. Mas agora tô, ó, tá vendo? De pedra. Nem pena do mundo eu consigo mais sentir. Minha pureza era linda, Zé, mas ninguém entendia ela, ninguém acolhia ela. Todo mundo só abusava dela. Agora ninguém mais abusa da minha alma pelo simples fato de que eu não tenho mais alma nenhuma. Já era, Zé. É isso que chamam de ser esperto? Nossa, então eu sou uma ninja. Bate aqui no meu peito, Zé? Sentiu o barulho de granito? Quebrou o braço, Zé? Desculpa!
UM DIA A GENTE APRENDE A CONVIVER COM UNS. E A SOBREVIVER SEM OUTROS.

26 de fev de 2011

Aprenda, ignore, supere e cresça!

Anda! Sei que tá doendo, mas levanta. Coloca uma roupa. Passa a maquiagem. Arruma esse cabelo. Ajeita a armadura. Segura o coração. Sai por aquela porta. Enfrenta o vento. Sorri pro Sol. Segura o coração. Olha pra ele. Passa reto. Não caia. Não caia. Engole o choro. Fingi de morta quando ele falar com você. Seja fria. Continue andando. Enfrente seus problemas de cara. Reaja. Vai. Tá pensando que é só você que sofre? Tá enganada. Anda menina.A culpa não é de ninguém. Se apaixonou agora segura. Anda. Seja forte. Seja feliz. Seja uma mulher.

Eis o seu crime...

Eu tinha um ídolo; o senhor abateu-o do seu pedestal, e atirou-o no pó. Essa degradação do homem a quem eu adorava, eis o seu crime; a sociedade não tem leis para puni-lo, mas há um remorso para ele. Não se assassina assim um coração que Deus criou para amar, incutindo-lhe a descrença e o ódio.
(Em: Senhora)

25 de fev de 2011

Eles se amam, todo mundo sabe mas ninguém acredita. Não conseguem ficar juntos. Simples. Complexo. Quase impossivel. Ele continua vivendo sua vidinha idealizada e ela continua idealizando sua vidinha. Alguns dizem que isso jamais daria certo. Outros dizem que foram feitos um para o outro. Eles preferem não dizer nada. Preferem meias palavras e milhares de coisas não ditas. Ela quer atitudes, ele quer ela. Todas as noites ela pensa nele, e todas as manhãs ele pensa nela. E assim vão vivendo até quando a vontade de estar com o outro for maior do que os outros. Enquanto o mundo vive lá fora, dentro de cada um tem um pedaço do outro. E mesmo sorrindo por ai, cada um sabe a falta que o outro faz. Nunca mais se viram, nunca mais se tocaram e nunca mais serão os mesmos. É fácil porque os dias passam rápidos demais, é dificil porque o sentimento fica, vai ficando e permanece dentro deles. E todos os dias eles se perguntam o que fazer. E imaginam os abraços, as noites com dores nas costas esquecidas pelo primeiro sorriso do outro. E que no momento certo se reencontram e que nada, nada seja por acaso.

É por causa dele que todos os meus dias são doces!


TODA MINHA SAUDADE, E O MEU AMOR DE SEMPRE.
Caio Fernando Loureiro de Abreu - 15 Anos de saudades, meu eterno gênio.

24 de fev de 2011


EXATAMENTE 90 DIAS!
(25/05)
Que momento tão mágico, você morre mas não morre,
você vai mas não vai, permanecerás pra sempre.
Na roçadura do vento, no alto das montanhas,
Tu lembrarás do vôo dos pássaros, a tranquilidade do oceano.

21 de fev de 2011

Ser feliz por nada.



Geralmente, quando uma pessoa exclama Estou tão feliz!, é porque engatou um novo amor, conseguiu uma promoção, ganhou uma bolsa de estudos, perdeu os quilos que precisava ou algo do tipo. Há sempre um porquê. Eu costumo torcer para que essa felicidade dure um bom tempo, mas sei que as novidades envelhecem e que não é seguro se sentir feliz apenas por atingimento de metas. Muito melhor é ser feliz por nada.
Digamos: feliz porque maio recém começou e temos longos oito meses para fazer de 2010 um ano memorável. Feliz por estar com as dívidas pagas. Feliz porque alguém o elogiou. Feliz porque existe uma perspectiva de viagem daqui a alguns meses. Feliz porque você não magoou ninguém hoje. Feliz porque daqui a pouco será hora de dormir e não há lugar no mundo mais acolhedor do que sua cama.
Esquece. Mesmo sendo motivos prosaicos, isso ainda é ser feliz por muito.
Feliz por nada, nada mesmo?
Talvez passe pela total despreocupação com essa busca. Essa tal de felicidade inferniza. “Faça isso, faça aquilo”. A troco? Quem garante que todos chegam lá pelo mesmo caminho?
Particularmente, gosto de quem tem compromisso com a alegria, que procura relativizar as chatices diárias e se concentrar no que importa pra valer, e assim alivia o seu cotidiano e não atormenta o dos outros. Mas não estando alegre, é possível ser feliz também. Não estando “realizado”, também. Estando triste, felicíssimo igual. Porque felicidade é calma. Consciência. É ter talento para aturar o inevitável, é tirar algum proveito do imprevisto, é ficar debochadamente assombrado consigo próprio: como é que eu me meti nessa, como é que foi acontecer comigo?
Pois é, são os efeitos colaterais de se estar vivo.
Benditos os que conseguem se deixar em paz. Os que não se cobram por não terem cumprido suas resoluções, que não se culpam por terem falhado, não se torturam por terem sido contraditórios, não se punem por não terem sido perfeitos. Apenas fazem o melhor que podem.
Se é para ser mestre em alguma coisa, então que sejamos mestres em nos libertar da patrulha do pensamento. De querer se adequar à sociedade e ao mesmo tempo ser livre. Adequação e liberdade simultaneamente? É uma senhora ambição. Demanda a energia de uma usina. Para que se consumir tanto?
A vida não é um questionário de Proust. Você não precisa ter que responder ao mundo quais são suas qualidades, sua cor preferida, seu prato favorito, que bicho seria. Que mania de se auto-conhecer. Chega de se autoconhecer. Você é o que é, um imperfeito bem-intencionado e que muda de opinião sem a menor culpa.
Ser feliz por nada talvez seja isso.

20 de fev de 2011

19 de fev de 2011

Lágrimas e insônia.

Juro que não é meu desejo estar aqui sem você. Talvez seja culpa, e não precisa procurar muito para ver onde erramos, continuamos errando... Pois não sei a quem mais pertencer senão a ti, não vejo local melhor para tuas mãos senão entre as minhas. Assim como teus olhos que sempre são estrelas que me guiam para um caminho ao qual já não posso seguir, pois que me perdi no meio deste e ainda hoje pareço estar andando em círculos, já que não acho a saída. Igualmente ao teu sorriso que me faz perder o chão, o ar e até mesmo o controle quando me vejo rindo também.
Mas vivo na constante luta de esquecer e tentar odiar todos esses teus traços, por alguns simples motivos: você não vai mudar, não vai crescer e muito menos voltar. Então volto eu à rotina e seguro as lágrimas por um instante - onde desvio meu pensamento à procura das decepções já vividas, e não demoro a encontrá-las.
As lágrimas agora se fazem como um rio, e eu desisto de ti, de mim, das lembranças, dos defeitos, desisto!

15 de fev de 2011

Hoje em dia, para seguirmos em frente, temos que guardar nossos sentimentos no bolso, e andar como se nada tivesse acontecido.

ExtranjeraOnTour



Datas e cidades confirmadas para a primeira turnê solo, entitulada Extranjera, de Dulce Maria, que passará pelo Brasil de 25 à 30 de Maio:

25/05 – Fortaleza ♥
26/05 - Recife
27/05 – Brasília
28/05 - Rio de Janeiro
29/05 – São Paulo
30/05 - Porto Alegre

Ainda nem consigo acreditar que vou vê-la, minha diva!
Só faltam 99 dias!

Obrigada, Senhor!

13 de fev de 2011

O Que Eu Posso Fazer?

Não tenho dormido durante todos esses dias
Faz muito tempo desde que nos falamos
E tenho vindo aqui muitas vezes
Apenas não sei se o que estou fazendo é errado

O que eu posso fazer para fazer você me amar?
O que eu posso fazer para fazer você se preocupar?
O que eu posso dizer para fazer você sentir isso?
O que eu posso fazer para ter você lá?

Chega de esperar, chega de me magoar
Chega de brigar, chega de tentar...

Eu te amei muito.
Nunca disse, como você também não disse, mas acho que você soube.
Pena que as grandes e as cucas confusas não saibam amar.
Pena também que a gente se envergonhe de dizer,
a gente não devia ter vergonha do que é bonito.

5 de fev de 2011

Dizem que a gente tem o que precisa.
Não o que a gente quer.
Tudo bem. Eu não preciso de muito.
Eu não quero muito.
Eu quero mais.
Mais paz.
Eu sei, eu sei, o eterno clichê "isso passa". Passa sim e, quando passar, algo muito mais triste vai acontecer: eu não vou mais te amar. É triste saber que um dia vou ver você passar e não sentir cada milímetro do meu corpo arder e enjoar. É triste saber que um dia vou ouvir sua voz ou olhar seu rosto e o resto do mundo não vai desaparecer. O fim do amor é ainda mais triste do que o nosso fim. Meu amor está cansado, surrado, ele quer me deixar para renascer depois, lindo e puro, em outro canto, mas eu não quero outro canto, eu quero insistir no nosso canto. Eu me agarro à beiradinha do meu amor, eu imploro pra que ele fique, ainda que doa mais do que cabe em mim, eu imploro pra que pelo menos esse amor que eu sinto por você não me deixe, pelo menos ele, ainda que insuportável, não desista.

3 de fev de 2011

O mal de quem ama é saudade


Pra viver eu só preciso de você
Pra ser feliz eu só preciso te merecer
Pra ser melhor tem que acontecer de novo em outra vida
(Em: Se Eu Chorar)

2 de fev de 2011

"Mas, primeiro, aqui..."


... Agora, o respeito anda tão fora de moda.